Tudo sobre a Epicondilite Lateral – o famoso “cotovelo de tenista”

Compartilhe

O que é Epicondilite lateral?

Epicondilite lateral é uma condição que gera dor no cotovelo devido a uma inflamação dos tendões, muito comum a quem realiza movimentos repetitivos ou utiliza os braços, antebraços e mãos de forma excessiva, especialmente para quem pratica esportes com raquetes (tênis ou squash).

Apesar dessa patologia atingir com frequência atletas profissionais de tênis ou amadores, outros esportes que requerem movimentos repetidos de rotação, flexão e extensão do punho podem desenvolver essa patologia.

Conheça suas causas:

Os músculos que compõe a extensão dos dedos e punho têm origem na parte lateral do cotovelo, em uma proeminência óssea chamada epicôndilo lateral.

Muitos desses músculos extensores fazem parte dessa região e quando o punho está virado para cima, de forma estendida, esses músculos se contraem, criando uma tensão em sua origem. Saiba que desgastes e sobrecarga dessa região pode acontecer fissuras no tendão, começando um processo inflamatório e assim desenvolver epicondilite lateral.

É importante ressaltar aqui que essa patologia é muito comum em pessoas com mais de 35 anos, porém pode atingir também os jovens e adolescentes.

 

Sintomas de Epicondilite Lateral

Os principais sintomas do famoso cotovelo de tenista (epicondilite lateral) são:

✓ Fraqueza ou diminuição da força no braço ou punho, sendo difícil até segurar um copo;

✓ Rigidez muscular;

✓ Inchaço;

✓ Sensibilidade na região afetada;

✓ Dor no cotovelo que pode piorar com o movimento e sobrecarga, como: carregar peso, escrever ou até mesmo digitar;

✓ Edema;

✓ Irradiação da dor da parte externa do cotovelo para o antebraço e para as mãos.

Os sintomas surgem de forma gradativa ao longo do tempo e devem ser avaliados por um profissional na área de fisioterapia e/ou ortopedia para que assim o paciente tenha um diagnóstico concreto.

 

Tratamento para Epicondilite Lateral

A fisioterapia pode contribuir para controlar a dor e melhorar os movimentos, porém o tratamento deve ser indicado apenas por um fisioterapeuta. Lembrando que o processo de cura pode durar de 8 semanas à alguns meses e normalmente é feito com:

✓ Fisioterapia – incluindo exercícios de alongamento, massagem  e estimulação elétrica dos músculos;

✓ Uso de uma fita adesiva no antebraço, chamada kinesio tape, para restringir o movimento dos músculos e dos tendões afetados;

✓ Alguns equipamentos podem ser utilizados para combater a inflamação, como: ultrassom, laser, ondas de choque e iontoforose.

✓ Compressas com gelo, exercícios de fortalecimento, alongamento e técnicas de massagem transversa são extremamente importantes para acelerar o processo de cura.

 

Método Pilates para auxiliar na cura da Epicondilite Lateral

Para as pessoas que já possuem diagnóstico desta patologia, pode optar em praticar Pilates, afinal esse método proporciona diversos benefícios, como:

– Fortalecimento da musculatura do punho e do corpo de forma geral;

– Praticar os exercícios de Pilates aumenta a lubrificação das articulações;

– Os exercícios de alongamento aumentam e mantem a flexibilidade, garantido maior ângulo de movimento articular, assim melhorando seus movimentos;

– Reduz as tensões e promove consciência corporal;

– Reduz o estresse do dia a dia;

– Melhora a coordenação motora estimulando a percepção do corpo e da mente, promovendo bem-estar e maior qualidade de vida.
O método Pilates é indicado tanto na reabilitação das patologias de punho e cotovelo como para outras disfunções corporal.

Quem já sofreu com essa patologia e utilizou o método Pilates para reabilitação? Conte sua experiência nos comentários.

Até a próxima!

 

 

 

 


Compartilhe

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.