Movimente-se!

Compartilhe

Começo esse artigo com a seguinte pergunta – você sabe a importância do movimento?

A razão da minha pergunta é muito simples: eu preciso saber quantos profissionais e quantos pacientes, experimentaram o movimento com “M” maiúsculo desde cedo, quantos enxergam o movimento como forma de atingir a aptidão física (educadores físicos em sua maioria) e quantos utilizam o movimento como ferramenta de reabilitação (os fisioterapeutas – me incluo nesse grupo).

Antes de começar a escrever quero deixar claro que não estou generalizando, existe exceção para tudo, e o meu objetivo maior é trazer questionamento para nossa própria prática diária, com a técnica de movimento que utilizamos dentro do nosso dia a dia.

Atualmente, testemunhamos um crescimento mundial nos níveis de inatividade física e isso serve de combustível para uma crise, também em nível mundial, de saúde: estimativas conservadoras veem a inatividade física como responsável por 6% da mortalidade mundial, o que é descrito como uma pandemia pela Organização Mundial de Saúde.

Falta movimento em nosso dia a dia, falta coragem para nos movermos de forma livre e sem amarras.

 

O movimento é extremamente importante e auxilia na cura de patologias

Depressão, que se apresenta através da tristeza, pessimismo, baixa autoestima e outros sintomas, causando o isolamento do indivíduo.

Isso acontece por alterações químicas que ocorrem no cérebro principalmente com relação aos neurotransmissores (serotonina, noradrenalina, e em menor intensidade, a dopamina) substâncias responsáveis pelo impulso nervoso entre as células.

A depressão é uma doença grave podendo levar a morte. Em 2015, 788 mil pessoas que sofriam de depressão morreram por suicídio. Isso representou quase 1,5% de todas as mortes no mundo.

Hipertensão arterial, atinge 300 mil brasileiros por ano, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH). Muitas pessoas não apresentam sintomas, nem desconfiam da doença.

Diabetes, todo diabético – por conta dos prejuízos causados pela patologia, tem a tendência de ser afetado em seu sistema circulatório, o sedentarismo, má alimentação e desníveis na glicose, podem gerar problemas sérios na saúde e por isso, cuidar do todo se torna extremamente importante.

O movimento permite trabalhar de maneira geral, não somente com foco na dor, mas em todo o sistema nervoso do indivíduo, por isso há um refinamento de todas as habilidades da percepção, dos sentimentos, das ações, dos pensamentos e da forma de se movimentar.

 

Benefícios do movimento

Diminui glicose, colesterol, pressão sanguínea e gordura corporal; fortalece o sistema imunológico; melhora a performance física, a energia e a disposição; previne doenças cardiovasculares, contusões, vários tipos de câncer, Alzheimer, entre outras; aumenta o metabolismo; nas mulheres, alivia sintomas da menopausa, previne complicações no parto e ameniza dores causadas pela endometriose.

A realidade é que temos MEDO de nos mover. A sociedade sofre com o medo de se lesionar, e por ter tanto medo, o movimento fica negligenciado, isso sem contar o sedentarismo, e os modismos. Machucou? Movimente-se!

Acredito que meu papel seja dotá-los de liberdade e autossuficiência para escolherem a melhor estratégia de movimento a fim de terem uma vida mais feliz, plena e livre de lesões, que não fiquem inertes. Simples assim!

E acredito fielmente depois de tanto ler, estudar e pesquisar, que movimento é vida, é cura, é sinônimo de saúde.

Que tal começar a mudar a sua vida através do movimento? Inclua na sua rotina: ir a pé ao supermercado, passear com o seu cachorro, dançar, correr ou caminhar.

Até a próxima!


Compartilhe

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.